quinta-feira, 6 de agosto de 2009

ESMAGANDO O RATO


Quem somos nós? Já parou pra pensar? De onde viemos? Por que escrevemos? Que algo mais nós trazemos em nossa mochila de mil faces chamada vida? Porque nos escolheram? Eles. Que não podemos vê-los senão sentir. Porque se aproximam de nós e envolvem nossas mentes e tomam nossas mãos pra dizer as mesmas coisas nas quais nós acreditamos ou que repudiamos? Por que é que se tem a maldita mania de se brincar de Deus? Por que somos humanos? Deve ser. Mas, e antes, o que somos? O que éramos? Quem somos nós? Nosso ódio tem limites, e nossa vontade residência fixa, endereço estabelecido, código de barras, portão sem cadeado, senha... Que todos podem acessar. Qual a graça? Responda-me quem puder!

E pensar que a gente passa por essa vida e percorre esse mundo, a maior parte do tempo, entre quatro paredes, ou debaixo de uma árvore. Claro, sob o sol, estouraria os miolos. E daí? Se a maioria de nós não fez outra coisa antes de vir para cá, para este mundo, senão juntar miolos.

Aproxima-se o final de tarde em que todos chorarão sobre nós e depositarão suas flores e suas lágrimas sobre a lápide que há de nos abrigar. Derramarão sua hipocrisia e, a sua indiferença, ofertarão embaladas num olhar meigo, um sorriso triste de revolta.

Quero estar por perto quando isso acontecer. Quero sim. Depois eu volto para o jardim, de onde vim.

Amém. Sou jardineiro.

2 comentários:

  1. Belto texto, faz pensar...
    Em intertextualidade com a bíblia, que mostra o ser humano cada vez mais tentando ser Deus, errando, e se revoltando com o Próprio pelas consequências que causaram a si mesmos.
    Mas, quero crer, que tudo tem um bom motivo.

    ResponderExcluir
  2. Acho que esse 0lhar deve ter uma ligaçao com certa raiva.. Ou só por interrogação mesmo.. Mas não, acho que se pensamos esse tipo de coisa não saimos do mesmo parafuso.. Sempre acompanho teu blog! Bjos

    ResponderExcluir