sexta-feira, 28 de agosto de 2009

NADA TEM A VER COM NADA


Como se faz pra chegar? Atravessa-se a ponte, navega-se até a outra margem do rio, em frente, segue-se sempre, pelo acostamento, sob a mira do sol que se deita no horizonte... Onde?

Como se faz pra esquecer? Não se deixa rascunho, as aparas do lápis, o cesto do lixo, cheio, do pecado que transborda, e da razão que transgride... Por quê?

Como se faz pra tirar? A lauda da máquina que resisti ao rancor da estúpida mão que não sabe escrever.

Eu fumo Hilton. E você?

Como se faz pra convencer? O wermouth esperar até que a próxima linha chegue em meio às nuvens de um hábito que já foi prazer.

Como se faz? Você que escreve me diz como se faz? Pra que os olhos não fiquem vermelhos às 3 da manhã e, ao meio-dia a eu permaneça acordado... Esperando a noite que demora a vir.

Eu uso All Stars. E você?

Os meus pés estão doendo. E minhas mãos tremem. Que remédio irei tomar?

Como se faz...? Como se faz? Pra sair daqui...

Nenhum comentário:

Postar um comentário