segunda-feira, 7 de setembro de 2009

AOS OLHOS DO MUNDO


O Brasil nunca soube divulgar a sua imagem para o mundo. O país, lá fora, é sinônimo de futebol, samba e mulher bonita. Mas o Brasil não é só isso. O que um norte-americano de cultura mediana sabe sobre a o Movimento Republicano no Sul ou a Revolução de 32 em São Paulo? Nada. Mas qualquer criança do ensino médio no Brasil deve saber ao menos quem foi Abraham Lincoln.

Não somos apenas um povo de índio, embora índios nós sejamos todos. Mas para o europeu somos apenas a baiana do vatapá e a mulata carioca. Ele não sabe, por exemplo, da professora paulista que se vê obrigada a ensinar sob condições deploráveis de uma educação pública sucateada por seguidos governos burgueses e elitistas que comem sardinha e arrotam caviar, que são incapazes de exercer oposição aos desmandos e à corrupção do governo federal porque simplesmente roto não fala do rasgado e quando fala não convence. Bem, mas esse é outro assunto. Estou falando da imagem que o Brasil divulga de si para o mundo.

Lá fora a nossa Literatura se resume a Machado de Assis, para os acadêmicos, a Jorge Amado para os pseudo-intelectuais, e a Paulo Coelho para os que vêem no livro objeto de consumo e de decoração que lhes permita ares de intelectualidade. Estes certamente pertencem à mesma turma que, por aqui, assisti ao Programa do Jô para obter cultura. E freqüenta vernissages e lançamentos de livros para, quem sabe, aparecer naquela foto publicada nas colunas sociais e que sai geralmente com a legenda trocada.

Porque temos um imenso litoral - agora protegido por um navio de guerra que até pouco tempo se encontrava no museu marítimo da coroa inglesa - achamos de vestir bermuda e posarmos de garotão de praia para o mundo. Porque essa é a imagem que o mundo tem de nós? Não. Essa é a imagem que nós divulgamos de nós para o mundo.

Pra não falar em favelas, meninos de rua, tráfico de drogas e prostituição. Como se isso não existisse, por exemplo, nos Estados Unidos, na Inglaterra, na França, na Alemanha e no Japão.

Falemos de coisa boa. Sim. César Lattes. Alguém se lembra? Entre nós, brasileiros, bem poucos. Mas o mundo lá fora sabe quem foi Cesare Mansueto Giulio Lopes, o físico e matemático Cesar Lattes, curitibano filho de judeus imigrantes italianos, graduado nessas áreas pela USP de São Paulo, co-descobridor do méson-pi feito considerado uma revolução no campo da Ciência ao revelar que o átomo não era formado por apenas três tipos de partículas elementares como até então se acreditava.

E o que dizer de Ernesto Julio de Nazareth, pianista e compositor, o grande nome do “Choro” estilo musical que combina lirismo e animação, um deleite para os ouvidos hoje tão maltratados pelo mercado fonográfico.

Ah, ia me esquecendo. Por aqui, babamos ovos para Gleen Miller, Gershwin e Ray Conniff e com toda a razão. Processo quem falar mal desses sujeitos. Mas fomos incapazes de divulgarmos ao mundo com a importância devida a Orquestra Tabajara de Severino Araújo. Ou a Tupi do Rio de Janeiro.

Para concluir, existe na imprensa brasileira a crença nefasta de que notícia ruim é a que vende. Mentira. É claro que notícia é sempre o fato inusitado. Mas deveria haver mais espaço para os fatos positivos porque eles estimulam novas e semelhantes iniciativas, tornam o ambiente melhor, ajudam a limpar a mente do indivíduo que acompanha o noticiário.

Tivesse a imprensa brasileira coragem para tanto, tornar-se-ia a vanguarda do gênero no mundo. E isso não seria pouca coisa.

Aqui em Rio Claro, de onde escrevo, temos um exemplo disso. O Jornal Aquarius, editado pelo jornalista e escritor Mauricio Beraldo segue a linha editorial de apresentar matérias úteis e agradáveis para as pessoas que se interessam em adquirir conhecimento e cultura. É uma célula no universo. Mas células vivem e se reproduzem. E para isso basta a vontade de uns e de outros.

2 comentários:

  1. Cara, você deu um show em sua analise. Colunas como essas deveriam estar nos melhores jornais ou revistas do país, pena que coisa do tipo esteja apenas em "blogs" geralmente escrito por pessoas que não tem rabo preso com ninguem. É isso aí cara!

    ResponderExcluir
  2. Olá! Estou iniciando minha caminhada blogueira e encontrei o seu, gostei bastante dos seus textos, você tem um perfil muito forte.

    Bom dia pra vc.

    ResponderExcluir