sexta-feira, 18 de setembro de 2009

CIRCO DE HORRORES

O exercício pleno da democracia é recente no Brasil. Talvez isto explique o fato do brasileiro ainda eleger homens e não partidos, em detrimento, portanto dos projetos políticos, se existem. Os partidos brasileiros não possuem consistência ideológica e seus atos são desprovidos de coerência, o PT que o diga. Causa risos quando o presidente Lula vem a público dizer que pela primeira vez na história deste país (como ele gosta deste jargão!) não haverão partidos de direita disputando o cargo hoje ocupado por ele.

O eleitor brasileiro geralmente encara a política como o futebol. Disputa acalorada por parte dos torcedores, digo, eleitores, e que se decide muitas vezes nos bastidores, sem que ele saiba ou finge que não sabe pra não se sentir culpado. Por isso não me ufano – desculpe Daniel, é plágio mesmo.

O meu colega Sabugo, também assíduo freqüentador do Bar do Bolinha, diz no melhor da sua inspiração etílica, que basta organizar pra que haja corrupção. Concordo. Por isso sou mesmo Anarquista. E que me provem que existe melhor remédio.

Agora, a onda dos partidos políticos é assediar celebridades e convencê-las a lançar candidaturas. O Partido Verde acaba de convidar o escritor Paulo Coelho para se lançar candidato a deputado por São Paulo. Vou repetir. O Partido Verde, o mesmo que poderá ter a senadora e ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva como candidata à presidência da República.
Não riam, por favor, estamos no Brasil, onde até o ex-craque Edmundo, condenado a 4 anos e meio de detenção, por acidente de trânsito, pena mantida pelo STJ em agosto do ano passado, aderiu à política e já prepara sua candidatura para as próximas eleições.

No estado do Tocantins, comenta-se há meses a eventual candidatura do técnico Vanderlei Luxemburgo ao cargo de senador da República, onde já figuram outras preciosidades como Collor, Sarney, Calheiros e vai faltar etecéteras, por isso vou de reticências...

Ou seja, comprometimento com as causas sociais, folha de serviços prestados à sociedade, moral ilibada, passado inatacável, conduta ética, isso tudo é de menos. Na verdade, não possui importância. Porque não garante eleição de ninguém. E o que se pretende é conquistar o Poder. Simples então. Faça uma pesquisa de opinião pública, verifique as tendências do mercado, lance seu candidato e corra para o abraço.

Os progressistas, que sempre acham justificativa para tudo dirão que o ex-cowboy Ronald Reagan foi presidente da república Yankee. E o estado da Califórnia tem o ex- “The Terminator” Arnold Schwarzenegger como Governador.

Esquecem-se ou simplesmente não sabem que uma das cadeiras do senado brasileiro já foi ocupada por Ruy Barbosa, e atualmente o é por Pedro Simon. Mas aí é covardia.

Publicado no Site: www.jornalrioclaro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário