terça-feira, 29 de dezembro de 2009

SOLILÓQUIOS LITERÁRIOS


Se alguém tiver uma foto mais interessante do sujeito me avise, por favor. Eu, por incapacidade ou preguiça mesmo não a encontrei. Transcrevo a seguir, trecho da carta que enviei ao meu tio Zé que, como poucos, sabe apreciar a boa Literatura: “Gregório de Matos é daquelas jóias raras. Passou maus bocados. Quase foi parar no tribunal da Inquisição em 1685 por não ter o hábito de retirar o barrete quando diante de uma procissão. Seus poemas satíricos incomodavam muita gente e, em 1694 foi deportado para Angola onde contraiu febre vindo a falecer em Recife/PE em decorrência disto. Conta-se que para receber a extrema unção solicitou a presença de dois padres e fazendo-se de Cristo, disse em seus estertores que estava morrendo entre dois ladrões. O Boca do Inferno, realmente não era figurinha fácil. Mas foi talvez o mais importante poeta do período barroco, que, sem sombra de dúvidas é um dos mais significativos e apreciáveis momentos da Literatura Brasileira”.

2 comentários:

  1. Caraca! Preciso conhecer mais esse escritor, o fato de reunir dois padres quando ele estava nos estertores da morte e depois falar na cara dura que estava entre dois ladrões foi fodaço!!!

    ResponderExcluir
  2. Caso ele estivesse no palácio do planalto então nem se fala de quantos ladrões ele estaria cercado, com certeza faria inveja até ao ALI BA BA!

    ResponderExcluir