domingo, 28 de fevereiro de 2010

"JE NE FAIT RIEN SANS GAYETÉ"

Faleceu neste domingo, 28, em São Paulo, o bibliófilo José Mindlin, aos 95 anos.
No jornalismo, ele iniciou-se ainda adolescente trabalhando como redator no jornal O Estado de São Paulo.
Foi secretário estadual da cultura paulista, durante a gestão do governador Paulo Egydio Martins e membro das Academias Paulista e Brasileira de Letras.
Em sua vasta biblioteca que contém a coleção Brasiliana Guita e José Mindlin, parcialmente doada à USP, estão raridades como a primeira edição de Os Lusíadas (1572) e um original do Padre Vieira, além dos manuscritos de Sagarana de Guimarães Rosa. A coleção composta de Literatura e de manuscritos históricos com cerca de 17000 títulos (40 mil volumes) ganhará prédio próprio projeto acadêmico da Universidade de São Paulo.
Mindlin era também empresário, ex-dono da Metal Leve, fábrica de autopeças. Filho de um dentista judeu de origem russa herdou do pai o interesse pela cultura. Estudou Direito na USP e fundou a Livraria Pathernon, em São Paulo.
Seu lema de vida era a máxima do filósofo francês Montaigne: "Je ne fait rien sans gayeté" (Não faça nada sem alegria). Se pelo menos a maioria de nós pensasse assim...

Nenhum comentário:

Postar um comentário