quarta-feira, 10 de março de 2010

FILME SOBRE CHICO XAVIER ESTREIA EM ABRIL

Com lançamento nacional previsto para abril, o filme Chico Xavier de Daniel Filho, que assina a produção e a direção é aguardado com grande expectativa não apenas pelos adeptos da doutrina espírita Kardecista, mas por aqueles que aprenderam a admirar e respeitar o homem que tinha duas virtudes muito difíceis de serem assimiladas e desenvolvidas em um mundo cada vez mais competitivo e imediatista que eram a humildade e a disposição em fazer o bem ao próximo sem nenhum interesse próprio. O roteiro é adaptado da biografia As Vidas de Chico Xavier do jornalista Marcel Souto Maior. No elenco artistas de peso da dramaturgia brasileira como Paulo Goulart, Carlos Vereza, Christiane Torloni, Cássio Gabus Mendes e Tony Ramos. Três atores retratam Chico nas diversas etapas de sua vida: Matheus Costa, quando criança, Ângelo Antonio na fase adulta, e Nelson Xavier na velhice.

Francisco de Paula Candido, nome de batismo, nasceu em Pedro Leopoldo/MG em 02 de abril de 1910. Ficou órfão de mãe muito cedo e sofreu nas mãos de sua madrinha com quem viveu até seu pai contrair segundas núpcias e dar-lhe um novo lar e uma nova mãe.

Sua primeira psicografia, ocorrida em julho de 1927 aos 17 anos reuniu 17 páginas de autoria desconhecida. Foi com o polêmico Parnaso do Além Túmulo que Chico estreou no mercado editorial. O livre reúne 256 poemas de diversos poetas como Augusto dos Anjos, Olavo Bilac, Antero de Quental, Cruz e Souza e Guerra Junqueira. O meio literário dividiu-se em opiniões quanto ao livro o que na verdade despertou um interesse ainda maior pelo mesmo.

Conforme a Doutrina Espírita Kardecista a mediunidade de Chico Xavier era classificada como ostensiva (com bastante freqüência) e de efeitos intelectuais (os fenômenos tem base na esfera subjetiva, não interferem os cinco sentidos, senão a racionalidade e o intelecto). Através da psicografia (comunicação pela escrita), na variedade mecânica (o espírito comunicante atua diretamente sobre a mão do médium), Chico escreveu mais de 400 obras, de autoria de seus mentores Emannuel e André Luiz, entre outros. Além de incontável número de mensagens que consolavam e esclareciam as pessoas, que, em desespero, por causa dos infortúnios da vida o procuravam em Uberaba/MG cidade onde viveu durante muito tempo e faleceu. Ao todo foram mais de 10 mil mensagens de esperança e fé aos familiares dos desencarnados.

Importante ressaltar que ao contrário do que muitos imaginam não há no transe mediúnico incorporação do espírito comunicante por parte do médium o que, caso fosse verdade, desmentiria a lei da Física que diz que dois corpos não ocupam o mesmo espaço. O que de fato ocorre é que o médium percebe e assimila a idéia do espírito comunicante e a expressa através da modalidade mediúnica que tem desenvolvida, no caso de Chico, com maior freqüência, a psicografia.

Chico Xavier jamais recebeu direitos autorais das obras que psicografou. Toda a renda oriunda dos 20 milhões de livros vendidos, enquanto encarnado, hoje, conforme estimativa já ultrapassam 50 milhões foram doadas para obras assistenciais.

Ele confessara aos mais próximos que preferia morrer despercebido. Isto se deu em 30 de junho de 2002, justamente o dia em que todas as atenções no país se voltavam para a conquista do pentacampeonato mundial de futebol pela seleção brasileira. Chico desencarnou aos 92 anos de parada cardíaca.

A Fundação Cultural Chico Xavier, sediada em Pedro Leopoldo, cidade natal do médium, tem como objetivo ser um espaço público onde as pessoas tenham a oportunidade de conhecer o acervo bibliográfico psicografado por Chico, além de realizar ações, projetos e programas sociais de ajuda às comunidades carentes. Dentre esses projetos a serem implantados estão o Memorial Chico Xavier e o Centro de Estudos e Pesquisa.

A data de estréia do filme, 02 de abril, coincide com o centenário de nascimento de Chico Xavier.

Fontes bibliográficas: COEM Módulo II – Curso de Orientação e Educação Mediúnica – Casa dos Espíritas de Rio Claro/SP (www.casadosespiritasak.com.br) Fundação Cultural Chico Xavier (http://www.chicoxavier.org.br/) , Wikipedia (http://pt.wikipedia.org/wiki/Chico_Xavier), O Livro dos Médiuns e O Livro dos Espíritos de Allan Kardec.



4 comentários:

  1. Chico Xavier é um patrimônio mundial, e toda homenagem a ele será pouca, foi um exemplo em tudo que se possa imaginar, nesse momento ele deve estar fazendo muitas coisa boas no mundo maior.

    ResponderExcluir
  2. gostei do artigo, Costa. Vamos publicar na revista tb.. .abss

    ResponderExcluir
  3. Eu amei seu blog, tem muita coisa da obra de Chico Xavier,pois eu também gosto da obra desse grande espírita. Eu sou adepta do Espiritismo,creio eu que o espiristismo tenha a verdade relativa e Deus tenha a verdade absoluta.

    Maria José um abraço.

    ResponderExcluir
  4. Maria José disse...
    Eu gostei do seu blog é lindo.

    ResponderExcluir