sábado, 10 de abril de 2010

10 de Abril - BEATLES, GIBRAN, the end... Forever

10 de abril. A data é emblemática, e todo mundo sabe porque. Há 40 anos desfazia-se o mais amado e festejado grupo de rock: Os Beatles. Foi o dia em que John Lennon avisou a galera que o sonho havia terminado. Pior do que isso ele disse alguns anos antes ao afirmar que os Beatles era mais conhecido do que Jesus Cristo. Pior que tinha razão. E ao que parece, continua tendo. Mas, questões filosóficas à parte, o legado musical dos Beatles é daquelas coisas que a humanidade se orgulha. Dos 60 para cá todas as gerações se curvam aos súditos da rainha.
De certa forma, os Beatles anteciparam tudo o que viria a ser revelado e explorado pelo mundo do rockn roll: os diversos estilos musicais, as estratégias de marketing, o poder do vídeo-clipe, entre outras.

Mas o mundo não é feito só de melodia também de versos e pensamentos. Por falar nisso, nesta mesma data há 79 anos despedia-se o poeta libanês Gibran Khalil Gibran. Autor de "O Profeta", onde, em determinado momento escreve aos pais: "Vossos filhos não são vossos filhos, são os filhos da ânsia da vida por si mesma". Além de poeta, Gibran era pintor. Seus desenhos ilustram uma das edições brasileiras mais conhecidas de "O Profeta" que tem tradução de Mansour Chalita. Homem sensível seus escritos revelam uma quase que permanente ligação com as coisas do Mais Alto, que ele tão bem sabia compreender e transmitir em forma de palavras.
Deparei-me com sua Literatura quando eu tinha 20 anos e trabalhava como auxiliar administrativo no Círculo Operário Rio-clarense. Certo dia, fui solicitado à dar expediente na biblioteca da instituição. Observando os títulos expostos na prateleira, ao atender um associado, deparei-me ao acaso com O Profeta. Bastaram algumas páginas, durante o meu horário de almoço, para eu perceber que não havia sido exatamente por acaso que o livro chegara às minhas mãos.

Tanto os Beatles, como Khalil Gibran deixaram de existir para este mundo. Mas deixaram muito mais. Um legado de valores artísticos que resistem ao tempo.

*Esta postagem dedicada ao meu amigo Charles. "All those eyars ago"





Nenhum comentário:

Postar um comentário