sexta-feira, 30 de abril de 2010

UM DEPUTADO FEDERAL PARA RIO CLARO

Por ora as partes não admitem, mas o cenário está propício. Nevoeiro Jr. abriria mão de sua candidatura para deputado federal e apoiaria a de Lincoln Magalhães. Ambos sairiam bonito na fotografia para o eleitorado rio-clarense, que, como todo bom brasileiro, adora historinhas comoventes desse tipo. Nevoeiro, porque, reconquistaria, em tese, a simpatia de parte significativa dos eleitores, os mais jovens, principalmente, perdida nas últimas eleições municipais, recompondo assim as forças para uma nova candidatura a prefeito daqui a três anos. Nevoeiro sabe e gosta é de ser prefeito. E Magalhães teria o caminho aberto pela frente para voltar ao cenário político de maneira triunfante.

Magalhães teria mais condições para enfrentar a batalha. É, aliás, sempre foi do PMDB, o que demonstra sua coerência política, virtudes das mais apreciáveis para o eleitor de perfil conservador como o rio-clarense. O PMDB está no poder em Rio Claro e em Brasília, onde, tudo levar crer continuará (aguardem e verão). Por essa razão, Magalhães teria o apoio necessário para realizar uma campanha à altura do que o desafio exige. Empresário bem sucedido, sobretudo no ramo da comunicação, tem o perfil agregador, próprio dos homens realmente democráticos que colocam o interesse da coletividade acima dos interesses pessoais. Além disto, teria o trânsito livre entre os caciques do seu partido, dos quais goza de respeito e credibilidade. O fato de ao longo dos últimos anos, mesmo estando fora das disputas eleitorais, ter mantido a postura ética e democrática, corrobora os ideais de seu partido.

Por essas e por outras razões os ventos soprariam a favor de uma eventual candidatura de Lincoln Magalhães a deputado federal por Rio Claro

E Claudio de Mauro, também ex-prefeito? Sua candidatura esbarraria no compromisso moral e ético assumido por seu próprio partido, o Partido Verde, que decidiu não apoiar candidatos com questões a resolver com a justiça.

O Professor prestaria um serviço muito melhor não apenas à cidade de Rio Claro, mas aos cidadãos do mundo continuasse com seu importante trabalho voltado para a luta da preservação do meio ambiente, esta sim, a questão fundamental neste século XXI para a humanidade. Se bem sucedido, competência não lhe falta, seria por essa razão lembrado daqui 200 anos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário