sábado, 1 de maio de 2010

O OLHAR DO LOBO

Nunca serei um Fausto Wolff. Mas as palavras dele me consolam como ser humano, tanto quanto as palavras de outro Mestre me consolam como espírito que sou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário