terça-feira, 15 de junho de 2010

MAIS QUE UM HEXA!

Hoje a pátria calça chuteiras. É inevitável. Não se trata de ufanismo. Mas constatação da realidade. Queiram ou não, hoje, eu, você e os outros 179 milhões 998 mil brasileiros, durante 90 minutos estarão envolvidos numa atmosfera de patriotismo que se repete a cada 4 anos.

Alguns roerão as unhas, outros amassarão bolinhas de papel e, num frio como este que vem fazendo haverá aqueles que ao menos hoje irão fumar um cigarrinho. Ao menos hoje.

A partir das 15 horas, todos esqueceremos da mãe do Dunga e nos lembraremos de Deus. Ah, Deus, faz essa bola entrar! Pobre Deus, aposto como se pudesse, ele tiraria férias hoje.

Não vai mudar as nossas vidas, nós torcedores, o resultado do jogo de logo mais. No máximo vivenciaremos um êxtase momentâneo de felicidade, e lembraremos que sim, temos valor, somos brasileiros, bons de futebol que, em momentos como o de uma Copa do Mundo, mais do que uma competição esportiva, ganha contornos de selo cultural de uma nação que, literalmente se pinta de verde e amarelo.

Há quem afirme que se o futebol fosse levado a sério no Brasil, este seria imbatível na modalidade. Mas justamente por nunca ter sido foi possível que houvesse Garrincha, Pelé, Romário, Ronaldo que, na história das Copas fizeram a diferença em nosso favor.

No Brasil, diferentemente da maioria dos países, o futebol pode, entretanto, adquirir outra dimensão. Porque é um fator agregador da sociedade. E pode transformá-la. Como? É preciso que a intelectualidade, os formadores de opinião, governantes, pais e educadores, identifiquem essa possibilidade e a estimulem.

Onde mais na sociedade seria possível encontrar algo conhecido e aceito pela maioria esmagadora dos cidadãos e fazer dele um instrumento de transformação positiva do indivíduo. Porque poderia ensiná-lo a respeitar as regras da sociedade, a ganhar e perder, a conviver harmonicamente em grupo, seja em família ou no trabalho, ou no meio social do qual participa. E a aprimorar-se, sempre, em busca de um nível de excelência tanto no aspecto moral, quanto no intelectual.

Quando essa visão prevalecer, o futebol terá conquistado uma importante e decisiva vitória além das quatro linhas. Porque terá se tornado um meio imbatível para educar o cidadão. O adolescente e o jovem principalmente.

Um comentário:

  1. Olá J.!
    Você sempre atento as importantes causas sociais e nos fazendo refletir.
    Excelente texto e bem oportuno!

    Beijos e aplausos pra você.
    Tua fã de carteirinha
    Eliza

    ResponderExcluir