terça-feira, 1 de junho de 2010

O LEITÃO TÁ CERTO

A muito oportuna crônica do colunista Jaime Leitão, publicada na imprensa escrita de Rio Claro em 25/5, provocou chiliques na administração municipal, que logo tratou de contestá-la.


Cidadão rio-clarense, Leitão constata o que todos sabemos ou deveríamos. Rio Claro investe mal os seus recursos.

Em relação àquilo que realmente importa: saúde, educação, segurança, é sempre aquela conversa mole de que não se trata de atribuição do município (a educação, em parte sim). Então, que tarefas sobram ao governo municipal? O transporte coletivo, a preservação do patrimônio público, a manutenção de ruas e avenidas, o tratamento de água e esgoto, a coleta de lixo, a urbanização das praças e logradouros públicos. A merenda escolar. A preservação e o estímulo à cultura. Mais algum?

Depois do publicitário Duda Mendonça, todo governo é eficiente e todo governante é a solução para todos os problemas.

Pior, acreditamos nisso. Sobretudo, porque não se dá devida importância que o assunto merece. Apenas a cada 4 anos, em época de eleição.

Se pudermos comprar e pagar, ótimo, a vida é bela, eu sou feliz, você é feliz e todos somos felizes.

Acontece que não é assim. Além de nossos portões e janelas, existe um mundo onde se encontra a violência, as ruas esburacadas, a destruição do patrimônio público, a degradação do meio-ambiente, o ensino público da pior qualidade, e a falta de medicamentos nos postos de saúde, e de médicos nos prontos-atendimentos e uma série de outros problemas que dizem ou, em algum momento dirão, respeito a todos nós.

É nesse cenário triste que se confirma a tese do professor e escritor Jaime Leitão.

Para os governos, sejam municipais, estaduais ou federais é muito fácil justificar suas ações ou inoperância através das estatísticas. E mais ainda é convencer a população de que tudo vai bem, através de uma propaganda hollywoodiana, de primorosos efeitos especiais e discurso tão comovente quanto o final de “E O Vento Levou”.

O Brasil é uma democracia consolidada. Mas ainda não aprendeu a conviver com ela. E isto só se dará no momento em que nossos filhos que estudam em escola pública concluírem o primeiro grau sabendo ao menos ler e interpretar um texto, escrever e realizar as quatro operações fundamentais. Ou seja, estamos ainda muito aquém disso. Por ora, continuamos sendo apenas massa de manobra dos manipuladores da opinião pública, criadores de verdades e de mitos, dentre eles governantes e governos. A administração municipal melhor faria se ao invés de contestar o Leitão tomasse sua tese como importante e oportuna contribuição.

Foto ilustrativa: Floresta Navarro de Andrade - Rio Claro/SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário