domingo, 29 de agosto de 2010

QUEM GANHA E QUEM PERDE

Não se iluda brasileiro. A eleição para presidência da república já está decidida faz muito tempo. Dilma ou Serra, ou qual dos dois for o eleito, eles é que terão ganhado a eleição. Ambos são apenas a ponta do iceberg. Um se presta ao serviço do vencedor e o outro o do perdedor. A globalização econômica, que faz os povos perderem sua cultura e identidade, o neoliberalismo, que massacra os pequenos empreendedores continuarão dando as cartas. Porque nem Dilma e nem Serra está comprometido comigo ou você. Mas com os banqueiros, as grandes corporações (cada vez maiores e mais ricas, mais influentes e mais egoístas). Eles são os donos da sementinha chamada dinheiro. E a cada ciclo por eles mesmo estabelecido, segundo seus interesses, escolhem um pedaço de chão (agora, o Brasil) para plantar a sementinha e colher os frutos e os dividendos.

Somos uma gente de boa-fé. Acreditamos em quem nos fala e faz o que gostamos de ouvir e ver. E eles sabem disso. Estudaram-nos por muito tempo, para compreenderem o que aqui funciona. Afinal, não precisariam mesmo estudar tanto. Porque aqui funciona mesmo o pão e o circo.
Depois de 03 de outubro, ganhe quem ganhar, eu e você continuaremos a ter crédito a perder de vista. E compraremos e nos endividaremos. Porque não temos bons salários e, portanto, poder aquisitivo. Mas temos crédito. E dívidas. E as teremos sempre e cada vez mais, porque esse é o jogo. É o que nos prendem a eles. Mas o que isso importa? Se eles nos oferecem pão e circo para o nosso bel prazer. Satisfazemos aos nossos instintos mais primitivos. E assim, com a barriga cheia e mil sonhos na cabeça, não precisamos e simplesmente nos esquecemos de nos esclarecermos, por exemplo, através da boa leitura, da boa cultura, daquilo que realmente presta. Porque estas coisas, minhas senhoras e meus senhores não chegam até o mar de gente chamado povo brasileiro. E quando chega, vem em migalhas de um pão já consumido por uma elite burguesa, egoísta e insensível. Que detesta gente pobre, feia e ignorante. E os despreza.
Agora me chamem de idiota, de arrogante e de cruel. A alguém caberia o desagradável e deselegante papel de dizer estas coisas. Se eu sirvo para isto, não sei. O fato é que escrevo, enxergo, admito a minha incapacidade de mudar sozinho e através da escrita esse estado de coisas. E, portanto, digo, nestas palavras toscas, quiçá, agressivas, entretanto, verdadeiras.
Você que crê na humanidade, esqueça o que leu aqui. Continue acreditando que este país é mesmo o coração do mundo e a pátria do evangelho. Pode ter sido em algum momento. Na boa intenção de abnegados que ainda crêem no amor e nos homens. Mas a França também já o fora. E nem ali, em meio ao povo culto e educado, a semente plantada prosperou. Há de prosperar em algum lugar. Aqui? Talvez. Vamos crer que sim. Ainda é tempo. Mas tempo é o que temos de menos agora.
Porque virão dias em que as forças da natureza, frente às quais nada pode o ser humano, haverão de separar o joio do trigo. E estabelecer uma nova ordem mundial. Não aquela que os poderosos de agora imaginam. Porque mesmo eles, apesar de todo o seu dinheiro e influência nada podem contra a força e a vontade quem vem do Alto. O Brasil, não tem a sua vocação na indústria como querem os que no Brasil mandam atualmente. Não se alimenta a miséria com motocicletas e celulares. Mas, O Brasil tem a sua vocação na Agricultura, com a qual pode alimentar a si e ao mundo. O Brasil pode matar a sede do mundo, devido seus rios e ao aqüífero guarani. O Brasil pode acolher e educar o mundo, devido à boa fé da sua gente, a tolerância e ao companheirismo da sua gente. O Brasil pode mostrar ao mundo o que é o amor, a amizade. Pode revelar a gente sofrida e descrente de toda a parte do mundo que Deus realmente existe e é Pai de todos nós. O Brasil, do povo brasileiro. Não de governos, sejam quais forem.
Por isso, as mudanças, não devem porque de fato não virão de governo algum seja qual for, porque eles não nos representam. E estão sob a influência das forças das trevas que não suportam a bondade que faz o forte levantar do chão o mais fraco.
As mudanças que representam a verdadeira revolução de comportamento, de atitudes, de ideias e ideais e bons sentimentos podem e devem vir do povo. Como a gente da França um dia imaginou e desejou que pudesse ser assim. O sonho de liberdade, igualdade e fraternidade não se desfez. Se estiver adormecido, não está ausente no coração dos povos que acreditam e lutam por esse ideal. Está presente. Em nós, brasileiros.
Não espere do seu representante político a mudança. Dele, ela jamais virá. A transformação, o salto de qualidade na sua vida humana e espiritual só depende de você. Faça você mesmo. Comece agora. Todos fazendo um pouco são luzes que se acenderão em cada coração e dissiparão as trevas que insistem em assombrar esse planeta. Tão azul, tão lindo, nossa casa, nossa mãe: Terra.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

UNS E OUTROS

Aos olhos humanos,
Sucesso e fracasso, são lucros e perdas
Vida e morte, o início e o fim
Revolta, é estímulo
Fé, promissória que se resgata
Conhecimento, a melhor espada
Moral, é virtude que se vende
Verdade é ouro de tolo
Esperança, é bebida sem álcool
Caridade, é investimento com retorno garantido
Amor, o caminho de mão única
E perdão, o espelho partido

Aos olhos do espírito, porém,
Sucesso e fracasso, são aprendizados
Vida e morte, apenas etapas
Lágrimas e risos, burilamento
Revolta, é água parada
Fé combustível inesgotável
Conhecimento é riqueza que se adquire
Moral, o melhor escudo
Verdade, o maior guarda-chuva
Esperança é como o vento que impulsiona
Caridade é o alicerce necessário
Amor, o único caminho
E perdão, a porta que jamais se fecha

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

DIA DE VERSOS

A poesia cabe em qualquer época e em qualquer lugar. Ela é necessário muito mais do que imaginamos. Os anjos são poetas que bafejam aos ouvidos dos homens de gênio as revelações que tornam a vida melhor.
O primeiro poeta foi sem dúvida o Criador. Vê-se a natureza e logo se entenderá por que.
A poesia é fruto da quintessência do sentimento. Para fazê-la é necessário silêncio e solidão. Mas Rimbaud, certamente não concordava com isso. Preferia a balbúrdia das tavernas e a companhia de Verlaine.
Inspiração, a pedra de toque da poesia. Esta era a verdade insofismável até que os concretistas trataram de desmenti-la.
Poesia requer estilo refinado, gramática apurada, roupagem bonita, ora bolas, um sujeito chamado Mano Brown mostra que pra falar ao coração e sacudir a mente bastam palavras, palavras que dizem; palavras que não se perdem, palavras verdadeiras, que fazem doer na consciência, mas que acalentam espíritos revoltados.
Coisa de gente culta, gente fresca, que não tem o que fazer e não aceita a realidade. Para muitos jovens brasileiros, isto era poesia, até que em meados dos anos 80, surgiu um discípulo de Rousseau de nome Renato, cantando versos que diziam: "Quem me dera ao menos uma vez/ que o mais simples fosse visto/ como o mais importante/ mas nos deram espelhos/ e vimos um mundo doente".
Românticos e sonhadores, realistas ao extremo. Sintonizados com o céu ou o inferno: Poetas.
Difícil para um prosador escrever sobre versos e sobre quem os faz. Romancistas, novelistas e contistas são como as tias velhas do velório, dispostas a desenterrar lembranças, fomentar sentimentos e desentendimentos, fazer suposições e deduzir sem ter provas. Poetas são os pássaros que cantam ao por do sol, enquanto o cortejo atravessa o cemitério. Prosadores, os engenheiros. Poetas, os arquitetos.
Síntese: "Última lição do mármore: não restará nem memória daquilo que o tempo grava". Nauro Machado, poeta maranhense.
Parnasianos, arcadistas, barrocos, românticos, realistas, concretistas, inspirados ou pensadores, eles atravessam os tempos. Vêm ao mundo na pele de Camões, Castro Alves, Olavo Bilac, Gonçalves Dias, Casimiro de Abreu, Antero de Quental, Augusto dos Anjos, Cecília Meirelles, Cora Coralina, Florbela Espanca, Ezra Pound, Pablo Neruda, Garcia Lorca, Lorde Byron, Ledo Ivo, Carlos Drumonnd de Andrade, Haroldo de Campos, Ferreira Gullar e muitos e muitos outros. Por suas mãos, são concebidas as asas que permitem ao ser humano alçar vôo e alcançar o campo metafísico da existência. É onde o homem se depara com a verdade de si mesmo, é onde ele aprende a amar ou odiar a si mesmo. Faça-se a luz, disse o Criador, e os deuses inventaram a poesia, e a deram de presente aos homens, quando estiveram entre eles.
Versos em rimas, versos livres, alexandrinos; quartetos, sextetos, sonetos, idéias concebidas, sentimentos revelados.
Façamos um verso, cada um de nós, todos os dias. Sejamos poetas. E o mundo será melhor, talvez. Mais bonito? Certamente.
Texto publicado no Jornal Cidade de Rio Claro em 14/03/2007, no Jornal Diário do Rio Claro, em 19/08/2010 e no Jornal Cidade Livre, edição No. 47 
Para ver comentários sobre esse texto acesse:
DIA DE VERSOS
Qui, 28 de Maio de 2009
© 2010 - Autores.com.br




quarta-feira, 4 de agosto de 2010

RESET

Você precisa reconstruir a sua vida

Precisa recomeçar

Unir os dois pontos

Até agora distantes

Precisa desfazer os nós

Esquecer o que ficou

O endereço do passado

Comece por você

Abra as gavetas

E ponha tudo pra fora

No chão o que não serve

O que não cabe

No seu coração

Deixe fluir os sentimentos

Reponha a vida em movimento

Esqueça do inverno que passou

E quem estava em seus braços

Faça um novo caderno

Rasgue as páginas que ficaram em branco

Do caderno que você não terminou

Ponha o coração em alerta

Abra os olhos

Deixe a mente fazer

Você voar

Acorde bem cedo

Celebre o dia

Faça o sol

Olhar pra você

Você precisa recomeçar.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

XÔ, DEPRESSÃO!

No campo das artes a lista vai desde o bailarino Nijinsky, passando pelo inspirado Lorde Byron, o esquizofrênico Van Gogh, e a bonitona Marilyn Monroe. Pouco? A lista continua, é extensa, dela também fazem parte o pintor espanhol Goya; o homem do charuto, mais conhecido como Sir Winston Churchill, o poeta Charles Baudelaire, e muitos outros. Como, por exemplo, Ian Curtis, líder da banda inglesa, Joy Division, morto aos 23 anos, no auge da fama; e Kurt Cobain, que dispensa as apresentações, e ainda, o sensível Renato Russo que, embora não tenha pendurado uma corda no pescoço como Curtis, quis o perigo e preferiu sangrar sozinho até o fim.
Uma das características do que se convencionou denominar “Mal do Século”, a depressão serviu de mote para romances como Os Sofrimentos do Jovem Werther (1774) de Goethe que, à parte o extraordinário valor literário, produziu um sem número de suicídios entre seus leitores.
Mas a depressão não é privilégio dos mais cultos. Ela ataca a todos indistintamente. Basta que encontre portas abertas na mente e no coração de pessoas insatisfeitas com a vida, ou que se acreditam incapazes de conviver com problemas aparentemente insolúveis.
O ritmo de vida o qual todos estamos submetidos gera frustrações de toda sorte que se torna campo fértil para germinar e propagar a depressão.
Do desinteresse contínuo e progressivo pelas coisas em seu redor e por si próprio, passando pelo isolamento, podendo chegar ao ato extremo de abdicar da própria vida, a depressão induz quem dela padece a percorrer um longo e destrutivo caminho.
Inconscientemente ou não o homem moderno busca resultado imediato para projetos pessoais, esquecendo-se, muitas vezes, que, da concepção de uma idéia ao seu pleno êxito, é preciso tempo e muito trabalho, além de capacidade de superação, persistência e esforço constante.
A vida humana é altamente competitiva nos dias atuais estabelecendo ganhadores e perdedores, sujeitos a verdades efêmeras e mentiras intoleráveis Os primeiros, tendem a nunca se acharem satisfeitos, contrariando o que sugeria Demócrito, filósofo grego. E os últimos, que jamais serão capazes de alcançar o topo da montanha. São, portanto, depressivos em potencial.
Dados da Organização Mundial de Saúde apontam que a depressão é mais comum no sexo feminino, atingindo, segundo estimativas, 3,92% das mulheres e 1,9% dos homens. Sendo que a depressão contínua afeta de 15% a 20% das mulheres e de 5% a 10% dos homens.
Constitui-se problema fundamental a ser enfrentado, o fato que 2/3 das pessoas depressivas não recorrem a tratamento médico.
Segundo especialistas, a maioria dos pacientes acometidos de depressão e não tratados tentará o suicídio pelo menos uma vez, sendo que destes, cerca de 17% chegarão a óbito.
Se tratado corretamente, por profissionais qualificados, a depressão pode ser curada em 70% a 90% dos casos.
Oficialmente a depressão é classificada como distúrbio bipolar, cujas características variam desde fases de euforia até extrema irritabilidade. Sua causa não é totalmente conhecida. Especula-se que aconteça devido desequilíbrio bioquímico dos neurônios responsáveis pelo controle do estado de humor. A possibilidade de causa genética para a ocorrência da depressão não está descartada.
Mas nem tudo são espinhos. Em Rio Claro, por exemplo, importante trabalho social realiza o Posto Samaritano, através do Centro de Valorização da Vida (CVV) onde, voluntários preparados ouvem atentamente, por telefone (3534-4111), os problemas das pessoas acometidas pela depressão. Às vezes, um desabafo é o suficiente para que pessoas depressivas se sintam melhor.
Para evitar a depressão ou mesmo superá-la, alguns terapeutas indicam a meditação que, se bem orientada e feita corretamente pode proporcionar resultados satisfatórios.
O contato com a natureza e, a ocupação com atividades lúdicas como o artesanato, o desenho e a pintura podem produzir efeito preventivo e amenizador.
Já a doutrina espírita, na sua vasta literatura disponível, sugere que a prática da caridade pode ser bastante útil, por se tratar de um caminho de mão dupla: faz bem àquele que a recebe e, sobretudo, àquele que a pratica. Não custa experimentar.