sexta-feira, 29 de outubro de 2010

EU NÃO VOTO EM DILMA

Eu não voto em Dilma. Por vários motivos.

Porque sou contra o aborto, porque repudio a intenção de colocar mordaça na boca da imprensa. Porque me causa dúvidas uma pessoa que ao longo do tempo muda tanto de cara e de opinião, ao que parece, conforme a conveniência. E porque deploro ser patrulhado pelos pirilampos, os sanguessugas vermelhos estrelados que atuam no silêncio e nas sombras, nos espreitam e levantam vozes, toda vez que nos dispomos a escrever algo que lhes incomoda porque diz a verdade.

Fosse Lula o candidato, sim, eu votaria nele. Mas Lula não é o candidato.

Se eleita, Dilma apenas estará esquentando uma cadeira que, naturalmente, pertenceria a José Dirceu, a eminência parda do poder petista, que, ao contrário do que muitos pensam e outros tantos afirmam, continua mais vivo e atuante do que nunca.

Sabe-se, afinal, o que pensam os marqueteiros que colocam pérolas e poesias na boca de Dilma. Mas o que ela realmente pensa ninguém sabe.

Dilma é o boneco ventríloquo do circo. Perdoem-me os palhaços, os realmente artistas que ganham a vida sob a lona e as luzes da ribalta.

Votar em Dilma, não significa votar em Lula. Bom seria se fosse, mas não é.

Se as viúvas do Lula se contentam com a cereja do pudim, eu não.

Chega-se ao final da campanha apontada por especialistas como a pior da história.

Mas não é só isso. O sistema já está estabelecido. Ele continua privilegiando uns poucos em detrimento de muitos. E os primeiros estão cada vez mais importantes, soberanos e ricos. Com que dinheiro? Com o nosso. Que até eles chegam, em boa parte, através dos impostos que pagamos. Em outra parte, com a especulação, porque já dizia a vovó, dinheiro faz dinheiro. Para nós, pobres, pobres mesmo, e mortais, restam migalhas da festa da qual nunca participamos e se depender da vontade deles, jamais participaremos. E o mais deprimente, feito os miseráveis que vagavam em torno do palácio de D. João VI em noites de banquete e festim, nos contentamos com estas migalhas que nos impede de morrer, e nos permite continuar sonhando. Sonhando... Enquanto eles vivem. E se deliciam.

2 comentários:

  1. Concordo com tudo. Eu posso dizer isso porque ajudei a colocar o presidente que está ai em sua primeira eleição. Pensei que era a hora radical de mudança, ou vai ou racha. Tentei tira-lo na segunda e não consegui. O partido que iria mudar tudo e ser exemplo cagou no pau. Estamos aí com uma imitação que poderá ocupar o "poder", eu não duvido de nada, afinal elegemos até o Tiririca!!

    ResponderExcluir
  2. Concordo perfeitamente !
    E eu digo que nem se fosse Lula o candidato, eu votaria.
    Com o Tiririca, o povo assinou seu atestado de irresponsabilidade para com algo realmente sério que é o governo do país.
    O povo tem preguiça de pensar, infelizmente !
    Parabéns mais uma vez !

    ResponderExcluir