terça-feira, 12 de outubro de 2010

VIVA AS CRIANÇAS

Eu me lembro com alegria e lágrimas nos olhos. Não é preciso ser escritor para construir uma frase como esta sabendo o que ela significa. Afinal todos nós, jovens idealistas e cheios de sonhos e convicções, adultos pragmáticos e senhores de si, idosos sapientes e donos de olhar calmo e palavras confortadoras nas horas mais necessárias, tem uma história pra contar. Verdade? Sim. Todos um dia foram crianças.

Escrevi certa ocasião: Nasci chorando e vou morrer fedendo. Que glória pode haver nisso? O tempo, ah, sempre ele, me fez descobrir e compreender o outro lado da moeda. O de que é preciso valorizar cada fase desse milagre o único que jamais será compreendido: a vida. Nesse dia da criança, bom seria se nós adultos, fossemos buscar a criança que trazemos guardada em alguma gaveta de nossa memória, nosso arquivo espiritual.

Vivenciam-se as primeiras experiências, experimentam-se as primeiras sensações, fazem-se as primeiras descobertas, têm-se as primeiras decepções, enfim, descobre-se um pouco, só um pouco, o que é viver, enquanto crianças. E elas podem ser levadas, porém ternas e generosas, como Tom Sawyer ou Huckleberry Fin do titio Mark Twain, escritor excepcional tão copiado até hoje pelos autores infanto-juvenis.

O educador Piaget e sua Teoria Cognitiva devem ter contribuído de alguma forma para que indivíduos da estirpe de Sawyer e Fin, pra ser sincero, caro leitor, como esteve que vos escreve, se livraram de reguadas na cabeça e da temida palmatória. Piaget estudou os próprios filhos para propor a existência de quatro estágios do desenvolvimento cognitivo do ser humano que são o sensório-motor, o pré-operacional, o operatório concreto e o operatório formal. Bendito Piaget.

No campo religioso, duas definições sobre a infância despertam a atenção e curiosidade. Na primeira delas, a mais tradicional e, portanto, mais aceita, crianças são anjos, livres do pecado através do batismo. Bom seria fosse verdade. Porque a teoria espírita diz exatamente o contrário: crianças são espíritos, que já possuem uma bagagem intelectual e moral e, portanto, possuidoras de virtudes e defeitos, adquiridos em vidas anteriores.

O que diz a razão? Ora, ela diz que uma criança que vem a falecer não possuiu tempo o suficiente para ser boa ou má, e, portanto, qual seria o seu mérito para merecer o céu ou o seu demérito para merecer o inferno. Do mesmo modo, uma criança, como a filhinha deste que vos escreve, estimado leitor, que faleceu aos 4 meses de vida, o que teria feito ela de ruim nesta sua tão efêmera vida pra sofrer tanto como sofreu em virtude dos seus inúmeros e insanáveis problemas de nascença?

Mas vamos nos ater no sonho que a criança é capaz de produzir na cabeça de um ser humano antenado com as coisas boas da vida, com as causas que realmente mereçam valor e atenção. Refiro-me a Monteiro Lobato. Esse ícone, referência positiva da cultura brasileira tão esquecida como tantos outros. Nas páginas do seu Sítio do Pica-Pau Amarelo, as peripécias de Viscondes Sabugosianos que ensinam o bem através da ciência, e as más-criações de uma boneca que mostra como evitar o mal.

Lembro-me a primeira vez em que saí a brincar. Tinha 5 anos. E ficava pendurado na janela da sala que dava para a rua, olhando com inveja e interesse os outros meninos maiores que eu a correr, a pular e a gritar felizes. Meu pai, entretido com livros contábeis em seu expediente na Casa Farani, e, portanto, algum anjo bom deve ter soprado ao ouvido de minha mãe: “Deixe-o ir”. E ela deixou. Ainda que preocupada com o filhinho doente que tomava todas as noites generosa dose de Comital.

Criança é assim. Às vezes demora a ver seu sonho realizado. E, algumas vezes, por mãos inesperadas, como a de Dona Maísa que, diferentemente de todos os demais professores, acreditou que aquele seu aluno, de olhar perdido, lento no raciocínio e completamente disperso do mundo à sua volta, fosse capaz de aprender a escrever. Conseguiu. Hoje ele escreve. Acabou de fazê-lo mais uma vez.



4 comentários:

  1. Aaaaahhh, oi, JR, valeu!! Feliz Dia das Crianças - que somos, não é???!! Então, estamos todos de parabéns, rsssss. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Olá, caro amigo
    Pois é. Ainda bem que há os que acreditam na gente, né ? Certamente ela sentiria orgulho de ti.
    Que todos os dias possamos resgatar nossa criança perdida, muitas vezes sufocada pelos problemas de adulto: as preocupações, as responsabilidades, etc...
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Eu sou mãe de muitos filhos uns gerados por mim e outros tantos gerados em meu coração, todos muito amados e eu sou criança a cada dia junto deles, e tenho certeza sua filha amaria você muito pois você é maravilhoso.
    Parabéns por este nosso dia.

    ResponderExcluir
  4. Que doçura de texto, JCostaJr! Estou sem palavras e agradeço imensamente por ter nos proporcionado com um texto carregado de amorosidade e saudade.
    Abraço fraterno.

    ResponderExcluir