quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

METÁFORAS RISCAM O CÉU

O quanto você sabe? O que pensa? De que substância é feito o amor que imagina carregar dentro de si?

Aos incomodados que se recusam bater em retirada nada tem graça porque nada é proibido, todos os excessos são tolerados, não há muro para se pular ou derrubar, não há fronteiras a atravessar, tudo se tornou perto, junto e rápido, já passou.

Mesmo assim, ainda há analfabetos, gente que morrerá de fome sem jamais saber o que é Deus. Doentes morrendo nos corredores dos hospitais. E não estamos em guerra.

Loucos não são mais os poetas, são os traficantes e quem os sustenta.

Rebeldes não são os músicos, mas os infelizes que insistem em acreditar nos espertalhões que se apoderaram de todos os princípios religiosos pra satisfazer o egoísmo e o orgulho, deles e da classe abominável quem representam.

Mesmo assim, as leis existem, sempre existiram. Leis humanas e leis espirituais. Mas lei demais significa ordem e justiça de menos, porque tudo se perde num mar poluído de direitos que visa tão somente diminuir a importância dos deveres.

Um decênio de modernidade do novo século. Muita coisa mudou. Onde? Se nós ainda somos os mesmos.

Como será a geração que chega para nos substituir? Que tela pintará no céu da eternidade?

Percorremos nosso caminho, fizemos nossa parte. E muito mal feito.

Somos soldados que ora levantamos acampamento e voltaremos para casa com a mochila nas costas e sem medalha no peito, sem histórias pra contar. E pior de tudo, sem lágrimas para derramar nos ombros da mamãe. Porque não há motivos que a justifiquem.

Eu tenho 40 anos. E você?

2 comentários: