segunda-feira, 13 de junho de 2011

CLOSER

Então, sento-me à sombra da árvore de Santa Cruz, e fico pensando nas coisas que não tenho. Naquelas que nunca tive e nas outras que jamais terei. Dá vontade de escrever. Mas isso, em princípio se parece uma estupidez. Porque aos 20 anos, é preciso ter asas para voar, e, aos 40, chão onde pisar. O remédio não funciona mais. 

Um comentário:

  1. Aos vinte anos somos sonhadores, voamos alto e como é bo este tempo, pena que quebramos a cara muitas vezes, mas isto serve de aprendizagem.
    Parabéns.

    ResponderExcluir