sexta-feira, 26 de agosto de 2011

A TRISTE REALIDADE DA POLÍTICA DE RIO CLARO


Triste realidade de uma cidade que aspira e reivindica grandeza, mas que, em se tratando de homens públicos e partidos políticos caminha a passos de tartaruga.
Para o desgosto dos cidadãos a campanha eleitoral ao cargo máximo da municipalidade que deveria ter início em meados do próximo ano já começou.
Polarizada entre os que hoje estão no poder e aqueles que pretendem retomá-lo, a campanha, terrível para os ouvidos e mentes sadias, se desenvolve através de panfletos mal elaborados, onde se trocam dissimuladamente ofensas e acusações de parte a parte. Também em determinados veículos de comunicação radiofônica que, sob o pretexto de fazer jornalismo, atuam como caixa de ressonância dos interesses e objetivos não assumidos para a retomada do poder por parte daqueles que hoje assumem a postura ofensiva de pedra e não mais vidraça como até então sempre se orgulharam de ser.
A campanha igualmente já acontece nas redes sociais onde ocorre em páginas virtuais como o facebooks, orkut e blogs. Ou seja, já contaminou todos os cantos da cidade e também o ambiente virtual, sem dar trégua ao cidadão.
A conclusão que se chega sem nenhum esforço é que situacionistas e oposicionistas dependem do Poder para viverem, como nós dependemos do feijão com arroz, da água potável (pela qual pagamos um preço absurdo) e do minguado salário.
Ocorre, entretanto, que vai ficando muito claro ao cidadão eleitor de Rio Claro o fato de que situacionistas e oposicionistas não estão à altura das necessidades prementes da cidade, não se constituem a melhor opção, se é que tal exista, em meio esse deserto de vida inteligente que é o meio político rio-clarense.
A cada dia, a cada manifestação de parte a parte, fica evidente que Rio Claro precisa isto sim, de uma terceira opção.
Alguém que represente fielmente a ideia de que o Poder é para servir a todos e não apenas àqueles que nele estão temporariamente e seus aboletados.
Uma liderança, que seja nova, que de fato zele pelas coisas de interesse público e que não se lembre do povo apenas a cada 4 anos para, com ares de cachorro abandonado, pedir um voto de confiança e fazer promessas infundadas e jamais cumpridas.
É bom lembrar que onde o Bem se ausenta o Mal se instala. Rio Claro precisa despertar a consciência para a importância da política. As pessoas de boa índole, cultas, qualificadas têm uma dívida e um compromisso com a cidade que os acolheu, que é integrar-se, ocupar espaço na vida política local. Quando isso se der, certamente não teremos mais o desprazer de assistir impotentes, a ineficiência de uma Câmara Municipal desqualificada e à guerra insana e ridícula entre dois grupos egoístas e aproveitadores que se digladiam um pela reconquista e outro pela manutenção do Poder.
Quem sabe, então, não teremos mais que passar pela vergonha de vermos irmãos nossos sofrendo humilhações de toda sorte quando buscam o atendimento nas unidades de saúde pública. Não mais choraremos desesperançados com o ascinte que se pratica contra as nossas crianças e adolescentes nos estabelecimentos de ensino público. Jovens não padecerão mais na perdição do alcoolismo e das drogas, porque, finalmente terão motivos para acreditar em si mesmos e no mundo. E os nossos realmente trabalhadores não serão mais assaltados em seus pertences e sua dignidade, conquistados com tanto suor e sacrifício e muito menos serão usurpados em sua crença nas instituições e nas autoridades.
Face o exposto, alguns defenderão a ideia de que estes males não atingem apenas Rio Claro. Certamente que não. Mas quando os governos são incapazes de proporcionar educação, saúde e segurança pública de qualidade às pessoas que por tais benefícios pagam através dos impostos, contribuições, tributos e taxas, de duas uma, ou os governos não possuem razão alguma para existir, ou a forma de governar precisa ser repensada. E isto só será possível com o surgimento de novas lideranças políticas empunhando de maneira destemida e altruísta, novas ideias e novos ideais que varrerão essa triste realidade que faz o cidadão de bem ter verdadeira ojeriza por política, algo que só beneficia os mal-intencionados, aproveitadores, egoístas que tomam de assalto, sem nenhum pudor, receio ou vergonha, a riqueza do povo produzida pelo povo, do qual, estes senhores e estas senhoras são apenas representantes temporários.

Um comentário:

  1. Caro, Rio Claro precisa de segurança, este é o ponto fraco principal que nossa cidade está demonstrando.
    Concordo em muita dos argumentos usados acima, e vejo que RC está fadada a este sistema por muito tempo. Com governantes fraquíssimos e, principalmente seguidores da política vigente em quase todo o Brasil - o assistencialismo - estamos sofrendo com a péssima educação do povo e mais ainda, com a marginalização destes que recebem auxílio de todo lado.
    Não estou tomando parte de um lado ou de outro, apenas dizendo que o assistencialismo durará muito tempo no Brasil e principalmente em Rio Claro, o que piora a cada dia o grau de instrução e a segurança da população.
    Rio Claro pede socorro faz tempo!

    Abraços
    Filipe

    ResponderExcluir