sexta-feira, 28 de outubro de 2011

APOSTASIA

Beba o mais que puder
Vicie-se o mais que puder
Prostitua-se o mais que puder
Liberte-se o mais que puder
Erre o mais que puder
Engane-se o mais que puder
Agrida-se o mais que puder
Percorra e corra o mais que puder
Lute o mais que puder
O mais que puder lute
Contra os outros e contra si mesmo
Destrua-se, lentamente, todos os dias
O mais que puder
Odeie-se o mais que puder
Grite o mais alto que puder
E escreva do modo mais verdadeiro que puder
Escreva com sangue
E apague com lágrimas
Sonhe... o mais que puder
Conhecerás o Inferno
Farás Poesia.

Um comentário:

  1. Eu farei sim, consigo obedecer a um mestre da escrita. Apostasia. Vou me afastar das crenças e dos preconceitos e vibrar com a poesia, saindo do igual, na alma, para o incerto e a discórdia do dia a dia. Poeta, passei a régua. Abraços!

    ResponderExcluir