sábado, 15 de outubro de 2011

MINÚCIAS

Há coisas que escapam ao olhar
Passam despercebidas
Porque são discretas, quietas
Elas se movem no silencio
E se detém nas minúcias
Detalhes imperceptíveis
Horizontes inimagináveis
E se perdem
Numa outra dimensão
Que o espírito atravessa
Quando quer

Pequenas coisas
Definem um destino
Tão simples quanto
A letra no papel
A rabiscar a trajetória
Em busca
De um olhar que compreenda
Um ombro que console
E mãos que protejam

Nenhum comentário:

Postar um comentário