sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

E JÁ SÃO DEZ HORAS

Vou nascer daqui a dez dias
E acho isso nada bom
Estou como que entorpecido
Incapaz de um movimento
E embora eu queira
Já não posso desistir
Serão 46 anos, terríveis anos
Eu quis fosse 19 ou 20
Mas eles não quiseram
Por mim nada disso estaria acontecendo
Eu não desejei essa jornada
Ela nada poderá acrescentar á história da minha vida
Porque não sou conduzido
Conduzo
Porque sou livre
Para escolher o meu caminho
Porque as coisas para terem vida
Elas não precisam estar no papel
Eu descobri isso, sabe, depois de tanto escrever
Eu descobri que aquilo que vai no coração
Não precisa da letra, da forma, da cor, do símbolo,
Da metáfora, não precisa
Basta que exista
Na mente e no coração
Que é onde se vive e onde tudo acontece
Quando se atinge essa consciência, que paz e liberdade proporcionam
Tudo mais perde o sentido
Adquire de fato a importância que possui:
Nenhuma

3 comentários:

  1. Escrever pode ser apenas mostrar o sente ou oque querem que sentimos, mas eterno mesmo é a liberdade que está no âmago da alma, isso, a liberdade, não precisa estar em papel, pois já é livre por si só.

    ResponderExcluir
  2. Agitado. É o termo correto para o texto, e explico o porque dessa sentença. Entre dedilhar para se enobrecer e o não dedilhar, querendo perecer. Assim é mesmo impossivel chegar a uma conclusão. Por mim, está decidido. Você deve viver muito mais e pronto. Precisamos de pessoas esclarecidas para, se não vai nos levar pela mão, entrega a vela, acesa e eterna, depois que usou, devidamente. Acrescento o Profundo. Parabéns, poeta!

    ResponderExcluir
  3. Como disse Saint Exupéry : O Essencial é invisível aos olhos, apenas o coração sente.
    Parabéns ! Poucas pessoas são capazes de sentir dessa forma.
    Abraços

    ResponderExcluir