segunda-feira, 12 de março de 2012

12 de março de 1922

Quando você acha que tudo é possível, nada acontece. Quando pensa que tudo acabou, está na iminência do primeiro passo. Você acha que isso é viver, porque alguma coisa no seu íntimo tenta lhe convencer disso: da necessidade de começar tudo de novo. Mas à luz da razão isso lhe parece insanidade, estupidez, perda de tempo. Mas então você se lembra que o dia seguinte virá do mesmo jeito. E quando isso acontecer, o que terá feito diferença na sua vida? O quê? Certamente não será a sua esperança. Mas o seu esforço, que, no momento concebido se parece com absolutamente nada. Porque a vida é feito disso: de milhões de nadas, e de um ou outro instante de alguma coisa. E são essas coisas, geralmente insignificantes aos nossos olhos que permanecem na nossa memória. Porque representam aquilo que fizemos. E não importa o que tenha nos causado se satisfação ou arrependimento, terá sido apenas a nossa história. E bendito é o homem que passa pelo mundo, e consegue escrever a sua. – Geraldo J. Costa Jr. – 12/03/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário