quarta-feira, 22 de agosto de 2012

ANTES, O AMOR


A gente, primeiro ama, é verdade, mas o amor não leva muito tempo para dizer a que veio. Às vezes, queremos acreditar que as coisas podem mudar da maneira como desejamos, mas esquecemos que cada um tem a sua individualidade. Cada ser humano é um universo em si mesmo. O Amor não se conquista. Isso seria forçar a barra, convencer o outro daquilo que ele não sente, não deseja, apenas para satisfazer nossa própria vontade, nosso próprio interesse. Amor, apenas se descobre. Ou não. Às vezes o descobrimos, mas ele está longe, longe de nossas mãos, de nossas possibilidades. E é nessa hora, nessa situação que, geralmente, ele nos traz a infelicidade, embora seja amor. É sob esse aspecto que entendo que ele não merece ser vivido. Porque se temos a opção de mudar, de escolher outro caminho, de buscar o que queremos em outro lugar, por que haveríamos de insistir naquilo que não nos completa, não nos traz felicidade? Sempre teremos duas opções. Sofrer é uma escolha nossa. E o sofrer, é, também, uma face do amor. A mais triste, a mais sombria, aquela que, portanto, não merece ser vivida, porque nós, não nascemos para sofrer. E quando o fazemos em relação ao amor, é pura e simplesmente, escolha nossa. E falta de amor em nós mesmos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário