segunda-feira, 18 de novembro de 2013

IRMÃOS EM CRISTO

Já passou da hora de cristãos de todo mundo, independentemente da denominação religiosa sob a qual se abrigam, deixarem de lado suas diferenças de pontos de vista meramente humanos, e resultantes de sua limitada capacidade de compreensão, e se unirem na fé em torno do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, que se resume em apenas 3 palavras: Amor, Renúncia e Perdão. Mais do que 3 palavras, 3 virtudes, 3 poderosas forças transformadoras que dissipam o Mal e estabelecem o Reino do Bem, o qual, mesmo os revoltados, os desesperançados, todos nós, indistintamente, aspiramos.

 Do essencial para a salvação humana, tudo foi revelado. Oculto, ficaram alguns pormenores, que, entretanto, não impedem o homem de iluminar-se, arrepender-se, e endireitar-se. Pensar o contrário seria o mesmo que subestimar a inteligência Daquele que governa o mundo, com olhar manso e mãos firmes.
Assim como Deus fez o mundo primitivo tal como ele de fato é sem a intervenção humana, de modo que pudessem todos os homens o ver e dele participarem, também Jesus Cristo, por meio de sua boa nova, fez luz à consciência humana, e mais do que isso, penetrou, curou e perfumou o combalido coração humano.
Deixemos de disputas tolas que leva o nada a lugar nenhum. Se desejarmos mesmo caminhar com Cristo, unamo-nos em torno do seu ideal de vida que é o Amor, que se dá através do acolhimento, da capacidade humana em praticar o bem sem olhar a quem, e de perdoar através do esquecimento, da fé inabalável no futuro e da irmandade que a Ele e em torno Dele nos une.
Fiquemos em paz. Tenhamos uma ótima semana.
Geraldo J. Costa Jr. – 18/11/2013

19h39

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

MUNDO ORDINÁRIO

No mundo agitado
Repleto de coisas e preocupações inúteis
Refugie-se para dentro do silêncio
Onde se faz possível
Desnudar-se sem culpa
Perante a descrença
Revelar-se fraco frente a dúvida
Onde se respira a poesia do nada
Onde se voa nas asas da revolta que liberta
E da insatisfação que impulsiona
E sem a qual não se dá
Um único passo adiante
Descobrir não é pecado
Dividir-se é virtude
Mil faces possui o homem
Mas um só é o seu coração
Única a sua mente
E sem elas, nada ele é
Inexiste, simplesmente
Mas a mente o liberta
De toda e qualquer dominação
Toda forma de poder
Seja ele qual for
Do maior ao menor
E o coração ensina o homem
A amar, ainda
Que à custa de muita dor
Lágrimas e
Decepções


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

LÁPIS No. 2

Não estou no mundo para apontar caminhos
Mas para fazê-lo perder-se
No mar de incertezas, revolto, profundo, escuro
E se a ele sobreviver, encontrará a enorme, gigante montanha de dúvidas
Não vim para saciá-lo com palavras
Mas para afogá-lo com elas
No rio caudaloso, nervoso, e sem destino
Até que os pássaros adormeçam será noite
E o dia se faça com os raios de sol, nuvens em movimento, sol...
Que dizima a atmosfera inebriante da noite densa
Não estou aqui, ao teu lado para lhe dar as mãos, boas vindas
Não sem antes lançar-lhe um último olhar, derradeira súplica
Que tolos e poetas profetizam: despedida
Não vim atirar pedras ao vento
Elas não merecem tão desprezível destino
As pedras marcam a vergonha
Dilaceram a alma, para sempre
Dilapidam a mente, sem cerimônia, sem remorso
Dor...
Que duas ou três garrafas de vinho
Não fazem jamais esquecer
Vê?
Como tudo pode e nada faz sentido...
Bebam do meu sangue derramado neste ritual
Na terra bruta e pisada, pereça
Feche os olhos, longe se veja
Entorpecido de fé
Envolvido pelo medo
Que vozes em delírio
Vestes esvoaçantes
Em gritos lancinantes
De êxtase e alívio
Doze horas se passaram
E um minuto é o que se tem
Pra decidir
Entre fechar os olhos
Ou continuar
A contemplar
O horror da vida humana
Onde tudo se repete, vezes uma vez, duas vezes, vezes dez

Sempre

PAÍS DE LEITORES

Antes que se formasse uma consistente e substancial geração de leitores de livros no Brasil, algo comum, por exemplo, nos países europeus, cuja cultura literária vem de séculos, foi o brasileiro introduzido na cultura da imagem, com predominância daquela veiculada na televisão, onde, inclusive, o brasileiro, um povo sim, afeito à leitura, mas não a ela habituado, identificou-se, e na televisão encontrou, sobretudo na telenovela, um gênero tão ou mais atraente ao da leitura, com as vantagens fundamentais, como, por exemplo, a de lhe proporcionar fatos e emoções em cores e movimento. – Geraldo J. Costa Jr. – 11/11/2013

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

LANÇAMENTO EM BREVE

Postagem da minha filha Viviane em sua página no Facebook. Primeira divulgação do meu novo livro a ser lançado em breve.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

LÁPIS SOU EU

Escritor é aquele Espírito que já viveu muito e precisa esvaziar sua mochila para que possa continuar sua longa jornada. E todos os dias ele buscará a sua verdade, que só a ele pertence. E terá de conviver com a eternidade ou a ausência dela. O que serve para um não serve para outro. E os sinceros, não se atrevem a dar conselhos, porque sabem que são inúteis. O escritor deve cavar seu próprio buraco a procura de sua mina d'água. Mas tolo será se saciar sua sede. Pois sem ela não terá motivos para continuar a sua longa jornada que jamais o levará a destino algum.Geraldo J. Costa Jr. – 05/11/2013.