quarta-feira, 13 de novembro de 2013

MUNDO ORDINÁRIO

No mundo agitado
Repleto de coisas e preocupações inúteis
Refugie-se para dentro do silêncio
Onde se faz possível
Desnudar-se sem culpa
Perante a descrença
Revelar-se fraco frente a dúvida
Onde se respira a poesia do nada
Onde se voa nas asas da revolta que liberta
E da insatisfação que impulsiona
E sem a qual não se dá
Um único passo adiante
Descobrir não é pecado
Dividir-se é virtude
Mil faces possui o homem
Mas um só é o seu coração
Única a sua mente
E sem elas, nada ele é
Inexiste, simplesmente
Mas a mente o liberta
De toda e qualquer dominação
Toda forma de poder
Seja ele qual for
Do maior ao menor
E o coração ensina o homem
A amar, ainda
Que à custa de muita dor
Lágrimas e
Decepções


Nenhum comentário:

Postar um comentário