sábado, 16 de julho de 2016

SIDEWALK



De repente me dá uma vontade louca de vê-la.
E receber de novo aquele seu abraço forte, apertado, infinito.
E encontrar aquele seu olhar voltado para o meu, como a se perguntar: você bem podia...?
Mas aqui não cabe uma pergunta, mas, uma certeza: a de que levarei comigo, de algum modo, a lembrança do seu olhar e da sua voz.
De repente, eu me surpreendo a admirá-la, tentando deparar-me com algum defeito seu, que justifique a loucura de querê-la perto, mas é certo, que, em sua vida não há espaço, para espera, dúvida, incerteza. Medo, não mais.
Não importa, porque tocá-la nem é tão importante, e possuí-la, é apenas ilusão do momento.
De repente me dá uma vontade louca de vê-la.
Basta a sua presença perto, para que tudo à minha volta se ilumine.
E o estímulo para viver, renasça, forte, apertado em meu coração, longo.
Como o caminho que ainda terei de percorrer.
Até um dia alcançá-la, tomar sua mão...
E caminharmos juntos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário