terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

FICA ESPERTO!



Fala sério, quantas vezes você já ouviu que o mundo vai acabar em tal e qual data? Muitas, né? E como se sabe, tudo como antes no quartel de Abrantes. Faz sentido. A cada vez que a notícia se espalha, muita gente lucra com isto. É a chamada turma dos sensacionalistas, também conhecida como espertinhos. Eles atuam fortemente em certos nichos da comunicação e, agora, muito mais, nas redes sociais, onde, como todos sabem se encontra de tudo com aquela chancela de credibilidade testada e aprovada pelas alminhas de boa fé e coração puro.
Reprodução
Nem a Ciência escapa da árdua tarefa de disseminar possíveis tragédias ou revoluções capazes de mudar a história da humanidade. Difícil uma semana que a NASA não sai com alguma novidade, nada mais que possibilidade remota, de que algo extraordinário seja descoberto ou aconteça. A agência espacial americana precisa justificar de alguma forma os milhões (já foram bilhões) de dólares nela investido a cada ano pelo governo americano.
Há sempre um P.H.D. em alguma área científica disposto a emitir um parecer que venha de encontro aos anseios do mercado. Sim, isto mesmo, você não leu errado, leitor, é mercado, mesmo. Sendo o mais ávido e interessado nisso, o mercado da indústria farmacêutica. Doenças desaparecem e surgem. Por que será? Remédios são retirados de circulação e retornam. Novos remédios e novas doenças, e vice-versa.  E as burras de alguns continuam enchendo à custa da desgraça de milhares de pessoas.
Duvido que ainda haja alguém que não ouviu falar sobre os Ovnis que estariam se aproximando da Terra, sabe-se lá com qual intenção. Ou a proximidade de um contato com seres de outro planeta. Será mesmo possível que esses caras vindos de tão longe imaginam encontrar algo de bom e interessante por essas bandas que já não seja peça de museu no mundo de onde veem?
Há quem diga que o famigerado, digo, desejado contato se dará em 2019. E que os governos mundiais já estariam se preparando para a festa, inclusive o Vaticano. Já puseram até palavras a respeito disso na boca do bom e dedicado Chico Xavier. Para uns, em 2019, haverá o contato saneador. Para outros, será o início da destruição do mundo, em decorrência da aproximação do planeta Chupão, também conhecido como Nibirú, Apophis, Hercólubus, Patati-Patatá. Puxa, o cara é de fato famoso!
Sabem de uma coisa, a ideia tosca, embora convincente, é sempre a mesma: estabelecer relação de poder e ganhar dinheiro. E para isso, nada melhor que a aspiração humana. Para os americanos, por exemplo, ela atende pelo nome de The American Dream. E para os brasileiros: Mega Sena. Cada doido com sua mania. A minha é ler os clássicos da literatura universal. Melhor, pelo menos eu fecho o livro e interrompo a história a hora que eu quiser.
*Publicado no Jornal Diário do Rio Claro, edição de 25/2/2017, à pág. 12;
*Publicado no Jornal Tribuna 2000, de Rio Claro/SP, edição de 25/2/2017, à pág. 7.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

DINHEIRO!



Economizar dinheiro é tão somente um modo de fazê-lo durar mais tempo. Chegará o momento em que, inevitavelmente, se terá de gastá-lo ou deixá-lo. Se gastá-lo, talvez seja com coisas contrárias à nossa vontade. Se deixá-lo, talvez seja para quem sequer teve consideração por nós e jamais se importou com a nossa felicidade. – g.j.c.jr. 20/2/2017
Reprodução

domingo, 19 de fevereiro de 2017

TRAJETÓRIA



Esperar não
Refazer não
Desprezar o que não presta
Ignorar o feio, o ruim, o incompleto, o doente
O demente
Deixar a si
Até que finde e se desfaça
Tudo o que nenhum proveito traz
Seguir em frente, sempre
Não olhar para trás
Esquecer
Viver conforme respirar:
Um dia de cada vez
Para que talvez
Com um pouco de sorte
Os dias se sucedam
E a face se reconheça
A cada vez que o sol se levantar

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

PENSE



Reprodução



O respeito aos pais, aos professores, às autoridades civis, militares, políticas e religiosas, que se acredita havia antigamente, não fora resultado da evolução moral da sociedade humana, mas resultado do medo e da repressão à ela imposta, por aqueles que a dominam. Atualmente, quando tudo está às claras, as máscaras caíram, o medo se desfez, a repressão já não se impõe, não tem força para tanto e, por esse motivo, as mazelas humanas, até então escondidas, saltam aos olhos.  Moral da história: continuamos boçais, reagindo a estímulos em situações limites, permitindo, sem nenhuma resistência que nossos instintos dominem a maioria de nossas ações. – g.j.c.jr. – 17/02/2017

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O Sr. (...)


Eu me realizo escrevendo. É a única situação em que encontro justificativa para a vida; em que se me torna ao menos suportável, viver o tempo todo contrariado, insatisfeito, frustrado, por não poder fazer as coisas que eu gostaria e do modo como eu gostaria; sem entender e aceitar muita coisa, dentro de mim e à minha volta. Se os outros se importam ou são indiferentes quanto a isso e quanto ao que escrevo, sinceramente, não me importo. Faço o que gosto e o que sei fazer. E quando eu não puder mais fazê-lo será o fim. Ou virá o fim. Ou irei buscá-lo. Beijos a todos, fiquem com Deus, e uma ótima segunda-feira; amo todos vocês, não duvidem disso.