segunda-feira, 5 de junho de 2017

À MODA PORTUGUESA



Livros fechados são almas mortas; partituras fechadas, sem que haja ao menos um só virtuoso a executá-las, são almas mortas; a tinta que não conheceu o pincel, o pincel que não chegou à tela, são almas mortas; o passo não dado, o movimento tolhido, o olhar omitido, o sorriso sufocado, são almas mortas; a comida que não chegou à mesa, a fome, a sede não saciada são almas mortas; a roupa não vestida, os calçados não encontrados – debaixo da cama – os pés descalços, são almas mortas; a vida, enquanto só aspiração, o violão sem as mãos, são almas mortas; o amor não declarado, o desejo reprimido, o abraço roubado, são almas mortas.


Ouvindo Chopin; dedicado ao meu pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário